domingo, 13 de maio de 2012

Santa Cruz estraga aniversário do Sport e comemora bicampeonato

Tricolor venceu o Rubro-negro por 3 a 2 na Ilha do Retiro no dia em que o rival completou 107 anos de existência

Imagine preparar uma bonita festa, abrir o salão, receber os convidados e ver um penetra estragar tudo. Isso foi o que ocorreu ao Sport neste domingo na Ilha do Retiro. Aniversariante do dia, precisando apenas de um empate para se sagrar campeão pernambucano, o Rubro-negro perdeu do Santa Cruz por 3 a 2 e viu a torcida coral, em menor número no estádio, sair comemorando o bicampeonato - feito que não conquistava há 25 anos. O detalhe é que antes da derrota para o Tricolor, o Leão não havia perdido nenhum clássico no Estadual.

Os dois primeiros gols da partida saíram com um minuto de diferença. Aos 12, o atacante Branquinho abriu o placar para o Santa Cruz em um lance no qual os donos da casa reclamaram impedimento. Aos 13, foi a vez do lateral Moacir empatar. Ainda na etapa inicial, Dênis Marques desempatou e assumiu a artilharia do Pernambucano. Aos 29 minutos do segundo tempo, quis o destino que Luciano Henrique, ex-jogador do Sport, marcasse o terceiro gol. Aos 36 minutos, Edcarlos diminiu para o Leão e encheu os torcedores rubro-negros de esperança, mas os 107 anos do clube ficarão mesmo marcados pela perda do título. No fim da partida, o canto de parabéns ecoou, de forma irônica, pela Ilha do Retiro.

Antes da partida começar o técnico Zé Teodoro, do Santa Cruz, chegou a divulgar uma escalação fictícia na tentativa de driblar o técnico Mazola Júnior, do Sport. Outro fator que chamou a atenção foi um bandeirão erguido pela torcida rubro-negra para lembrar o Dia das Mães: "Mãe do juiz, você também merece um feliz Dia das Mães". A partida teve arbitragem de Sandro Meira Ricci, que este ano passou a fazer parte da Federação Pernambucana de Futebol (FPF), e um público de 31.998 espectadores.

Com o fim do Pernambucano, Sport e Santa Cruz voltam suas atenções para a Série A e Série C, respectivamente. O Leão estreará na elite do futebol nacional contra o Flamengo, no próximo sábado, às 18h30, na Ilha do Retiro. O primeiro jogo do Tricolor na Terceira Divisão será contra o Guarany de Sobral, no dia 27 deste mês. A partida ocorrerá no Arruda, às 16h. Os outros dois representantes de Pernambuco nos torneios são o Náutico (Série A) e o Salgueiro (Série C).

Moacir foi autor do gol do Sport na final do Pernambucano (Foto: Aldo Carneiro)

Começo de jogo eletrizante com gols lá e cá
A partida entre Sport e Santa Cruz começou com dez minutos de atraso. O técnico Zé Teodoro surpreendeu, deixou o meio-campo Luciano Henrique no banco, transferiu o volante Memo para a lateral direita e escalou Branquinho no ataque e deu uma formação mais ofensiva ao Tricolor. Mas o primeiro lance de perigo do jogo foi do Rubro-negro. Com menos de um minuto, Jhemy recebeu um belo passe de Jael e na hora do arremate chutou por cima da meta do goleiro Tiago Cardoso.

Jogadores do Santa Cruz tiveram o que comemorar na Ilha do Retiro 
(Foto: Aldo Carneiro)

O Santa Cruz mostrou que não iria se intimidar na Ilha do Retiro e respondeu no minuto seguinte. Chicão recebeu a bola de Branquinho e chutou para a defesa de Magrão, que mandou a bola para escanteio. Depois desse lance, as equipes se alternaram no ataque, exigindo atenção da defesa adversária e transformando a partida em um verdadeiro lá-e-cá. Aos nove minutos, os donos da casa tiveram outra chance clara para abrir o placar. Marcelinho Paraíba cobrou escanteio e o zagueiro Edcarlos, com o gol escancarado, errou o cabeceio.

O primeiro gol do jogo saiu dos pés de Branquinho, que, apesar de estar com a camisa 2, estava no ataque. Aos 12 minutos, o jogador recebeu um lançamento de Flávio Caça-Rato e meteu a bola por debaixo das pernas do goleiro Magrão. Antes que a torcida do Santa Cruz tivesse tempo de terminar de comemorar a abertura do placar, o camisa 2 do Sport, Moacir, decretou o empate aos 13 minutos contando com a colaboração do goleiro Tiago Cardoso. O camisa 1 do Tricolor "bateu roupa" e voltou a colocar os donos da casa em vantagem na briga pelo título.

Dênis Marques assumiu artilharia do Pernambucano (Foto: Aldo Carneiro)

Dênis Marques marca primeiro gol em clássicos
Depois do empate, o Sport começou a viver um melhor momento em campo e passou a chegar ao ataque com mais liberdade. Aos 19 minutos, Jheimy arriscou de longe e quase vira o placar para o Rubro-negro. Aos 21 minutos, foi a vez do volante Rivaldo chutar de fora da área. A bola desviou no volante tricolor Anderson Pedra e quase encobriu o goleiro Tiago Cardoso, que conseguiu salvar o Santa Cruz do gol de desempate.

Com bom humor, torcida do Sport faz homenagem ao Dia das Mães 
(Foto: Elton de Castro)

Dos 25 aos 35 minutos, o ritmo do jogo diminuiu com o Sport ligeiramente mais ofensivo. O Leão poderia até ter virado o jogo se não fosse a intervenção de Tiago Cardoso. Aos 33 minutos, o goleiro foi buscar no canto uma bola chutada em Marcelinho Paraíba em cobrança de falta. As tentativas de gol do Santa Cruz ocorreram com Dênis Marques e Renatinho, mas sem muito perigo para o goleiro Magrão.

Aos 38 minutos, o zagueiro Bruno Aguiar pediu para ser substituído e o técnico Mazola Júnior colocou Montoya em campo e manteve o esquema com três zagueiros. A mudança, no entanto, foi nociva para o Sport. Aos 39 minutos, Dênis Marques ficou livre na intermediária e chutou no canto esquerdo do goleiro Magrão para recolocar o Santa Cruz mais uma vez à frente do placar. Esse foi o primeiro gol do atacantes em clássicos no Campeonato Pernambucano. Antes que Sandro Meira Ricci terminasse o primeiro tempo, o Leão ainda tentou o empate com Marcelinho Paraíba em bolas paradas sem sucesso.

Sport carimba a trave
O Sport voltou a campo com mudanças tática e de jogadores. O técnico Mazola Júnior sacou o atacante Jheimy e colocou Marquinhos Gabriel, que foi para a ala esquerda. Dessa forma, o Leão passou a jogar com Jael e Marcelinho Paraíba no setor ofensivo. E foi Marcelinho o responsável pelo primeiro chute a gol dos donos da casa. Aos dois minutos, ele cobrou falta com perigo e quase surpreende o goleiro Tiago Cardoso.

Aos cinco minutos, o perigo saiu dos pés do lateral Moacir. De fora da área, ele arriscou e carimbou a trave. Um minuto depois foi a vez de Marquinhos Gabriel quase acertar o ângulo do goleiro Tiago Cardoso. A resposta do Santa Cruz só veio aos oito minutos com Flávio Caça-Rato, que recebeu a bola pela esquerda, dominou e errou o chute.

Para tentar refrear o ímpeto do Sport, o técnico Zé Teodoro tirou Natan e colocou o meio-campo Luciano Henrique aos oito minutos. Aos 15, foi a vez do treinador reforçar o sistema de marcação ao sacar o atacante Branquinho e promover a entrada do volante Sandro Manoel. Por sua vez, o Leão seguiu com uma postura ofensiva na tentativa de encontrar o gol de empate.

Santa Cruz passou sufoco no final do jogo, mas saiu de campo com o título de bicampeão (Foto: Aldo Carneiro)

Gols botam fogo no jogo
Com as mudanças, o Santa Cruz abdicou do ataque e passou a atuar de forma mais fechada. O técnico Mazola Júnior sentiu que o Sport poderia crescer e sacou o zagueiro Montoya para a entrada do atacante Ruan. O Tricolor gastou a últimas substituição a que tinha direito com saída do volante Anderson Pedra para a entrada do zagueiro Leandro Souza.

Com três atacantes em campo, o Sport não conseguiu furar a defesa do Santa Cruz e ainda sofreu o terceiro gol aos 29 minutos. Luciano Henrique, campeão da Copa do Brasil em 2008 pelo rubro-negro, ampliou a vantagem do Tricolor. Quando a torcida do Leão já se preparava para deixar o estádio, Edcarlos diminiu e encheu de esperanças a Ilha do Retiro. O jogo ainda teve a expulsão do técnico Mazola Júnior e do atacante tricolor Carlinhos Bala, que estava no banco de reservas.

Se o clima estava quente à beira do gramado, não foi diferente em campo. Animado com o segundo gol, o Sport se lançou ao ataque e deu trabalho ao goleiro Tiago Cardoso, que se redimiu da falha no primeiro gol rubro-negro com belas defesas. Renatinho ainda teve a chance de decretar a vitória do Santa Cruz aos 47 minutos, mas errou o chute. Já o Leão seguiu com sua blitz até o apito final de Sandro Meira Ricci aos 50 minutos.+++++++++

Fonte: G1 PE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que fazemos em vida ecoa na eternidade!!!