terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Polícia conclui que gás de banheira matou casal em Minas Gerais

Polícia conclui que gás de banheira matou casal em Minas Gerais
Eles foram encontrados mortos em março de 2011 em uma pousada de Brumadinho; proprietário foi indiciado por homicídio culposo



Casal de namorados morto em Minas Gerais

O sistema de aquecimento a gás de uma banheira foi o responsável pela morte de dois estudantes em uma pousada em Minas Gerais.

Nesta segunda-feira (27), a Polícia Civil de Minas Gerais remeteu à Justiça mineira o inquérito referente às mortes dos estudantes Gustavo Lage Caldeira Ribeiro, 23, e a namorada dele, Alessandra Paolinelli Barros, 22. O casal passava alguns dias na Pousada Estalagem do Mirante, em Brumadinho, a 50 quilômetros de Belo Horizonte. Eles foram encontrados mortos no dia 17 de março de 2011.

Conforme informações da delegada Helenice Ferreira, o proprietário da pousada, Luciano França Drummond e o bombeiro hidráulico Rodrigo Morais foram indiciados por homicídio culposo, ou seja, quando não há intenção de matar.

Conforme as investigações da polícia, uma obra que interrompeu o escapamento de gás foi responsável pelas mortes dos jovens. Alessandra e Gustavo chegaram na pousada no dia 15 de março e, na data das mortes, utilizaram a banheira com aquecimento a gás e também uma lareira.

O laudo da polícia apontou excesso de monóxido de carbono nos corpos dos estudantes. Não havia qualquer sinal de violência nos estudantes e inicialmente a polícia trabalhou com a hipótese de envenenamento.

Advogado de defesa da pousada, Fernando Júnior afirmou que ainda não tem detalhes sobre o indiciamento e, por isso, não pode entrar em detalhes sobre o assunto. Ele disse que a pousada já funciona há nove anos, tem alto padrão e equipamentos de primeira linha. Portanto, destacou ele, é anormal o que houve com os estudantes.

“Se houvesse este tipo de falha, já teria acontecido com outras pessoas. De qualquer forma, quero analisar a conclusão do inquérito antes de me manifestar”, disse. Sobre a suíte em que Alessandra e Gustavo foram encontrados mortos, o advogado comentou: “A suíte foi liberada pela polícia no mesmo dia. Nunca houve interdição na pousada”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O que fazemos em vida ecoa na eternidade!!!